_ _ _ _

quinta-feira, 1 de novembro de 2012

0 Em Serra Talhada bispos fazem apelo ao governo do estado

+A +/- -A


Na manhã desta quinta-feira (01), o coordenador do Comitê Integrado de Enfrentamento à Estiagem, o secretário de Agricultura e Reforma Agrária, Ranilson Ramos, expôs em Serra Talhada, com representantes do Comitê, ações emergenciais e estruturadoras executadas pelo Governo do Estado para conviver com a estiagem prolongada, a maior dos últimos 40 anos, em Pernambuco. A reunião é resultado do encontro dos bispos pernambucanos com o governador Eduardo Campos que solicitou a apresentação das ações à Igreja. O Comitê realiza reuniões todas as segundas-feiras e esta foi uma reunião extraordinária para mostrar esse monitoramento aos bispos.

As medidas foram apresentadas aos bispos diocesanos de Pesqueira, Dom José Luís, de Salgueiro, Dom Magnus Henrique, de Afogados da Ingazeira, Egídio Bisol, Dom Manoel dos Reis de Petrolina, além de membros de Organizações Não-Governamentais. Todos os encaminhamentos serão tratados pelo Comitê que levará o que foi discutido para resoluções no âmbito dos governos Estadual e Federal. Estavam presentes o prefeito de Serra Talhada, Carlos Evandro e o deputado estadual, Manoel Santos.
 

O secretário Ranilson Ramos disse que os efeitos da estiagem atingem a 1,2 milhão de pessoas em Pernambuco. São 122 municípios em estado de emergência. Na assistência às famílias, no atendimento emergencial de água, 1,5 mil carros-pipa contratados pelo Estado e Exército. Os caminhões contratados pelo governo estadual estão sendo monitorados por GPS. “Esta é uma medida pioneira na história do País, executada em parceria com a sociedade civil por meio dos Conselhos Municiais de Desenvolvimento Rural Sustentável (CMDRS)”, destacou. O Governo também iniciou a distribuição de 25 mil caixas d’água para as comunidades remotas que não tem cisterna e não tem como armazenar água. Elas ainda estão recebendo 160 mil filtros para tratar a água.

Dentro das ações sociais executadas, em Pernambuco, 102 mil agricultores que aderiram ao Garantia Safra estão recebendo um seguro no valor de R$ 680,00, além do Chapéu de Palha Estiagem no valor de R$ 280,00. Cerca de 80 mil agricultores que não fizeram adesão ao Garantia Safra, estão recebendo R$ 400,00 do Programa Bolsa Estiagem e mais os R$ 280,00 do Chapéu de Palha Estiagem, totalizando 182 mil beneficiados por este programa. De acordo com o Banco do Nordeste, na linha de ações de âmbito econômico já foram realizadas 22 mil operações de crédito emergencial no valor de R$ 197,4 mil.

Entre as medidas para socorrer os rebanhos, foram entregues 6,9 mil toneladas de milho. No total, serão disponibilizadas 38 mil toneladas a preço subsidiado pelo Governo Federal até o final do ano. Para ajudar no transporte da ração aos municípios foram investidos recursos estaduais no valor de R$ 2,5 milhões. A previsão é atender a 17 mil criadores familiares cadastrados pela CONAB. Foram distribuídas ainda, 6,1 mil toneladas de cana-de-açúcar, 2,7 mil toneladas de bagaço com recursos do governo estadual da ordem de R$ 266,6 mil. Para amenizar o prejuízo dos criadores, foi lançado o PAA Especial Caprinos e Ovinos que vai adquirir 150 mil animais de 7,5 mil produtores por meio da compra direta. “A medida visa evitar que os agricultores familiares se desfaçam de sua criação a preços irrisórios”, completou Ranilson Ramos. O investimento chega a R$ 30 milhões.

Na área de infraestrura hídrica estão sendo perfurados 400 poços, instalados 1.000 e mais 400 estão sendo recuperados, além da construção de açudes, barragem e implantação de sistemas de abastecimento d’água. Estão em construção pelo Prorural 21 mil cisternas de primeira água, além de 15,5 mil cisternas calçadão (para produção) pela Secretaria Executiva da Agricultura Familiar em parceria com a Articulação do Semiárido Pernambucano (ASA-PE).

Ao ser questionado sobre a implantação das cisternas de placas e de polietileno pelo padre da Diocese de Salgueiro, Remi De Veto, o secretário Executivo da Agricultura Familiar e gerente geral do Prorural, Aldo Santos, explicou que a cisterna de placa traz uma tecnologia que envolve o próprio agricultor que é capacitado, gerando emprego, além de baixo custo e não polui o meio ambiente. A coordenadora da Asa, Neilda Pereira, também defendeu que a cisterna de placa traz a comunidade para participar do processo de construção..


Grandes obras - Ao apresentar o panorama climático e apresentar o quadro de obras que estão sendo realizandas no Sertão e no Agreste, o secretário de Recursos Hídricos, Almir Cirilo, informou que o Governo do Estado está investindo recurso próprios da ordem de R$ 30 milhões para a realizar ações emergenciais para atender a população com problemas de falta d´água. Ele falou também que estão assegurados recursos do PAC da ordem de R$ 650 milhões para a execução de obras estruturadoras destinadas ao abastecimento d'água. Para a programação de instalação, recuperação de dessalinizadores estão sendo destinados R$ 22 milhões.

Entre as principais soluções apontadas por Cirilo, está o reforço das adutoras por meio dos eixos/ramais da transposição do São Francico- aumento da capacidade de distribuição de água pelas Adutoras de Salgueiro, de Dormentes, do Oeste (evita atualmente o colapso total de muitas cidades do Sertão), sistema adutor do Pajeú, entre outras. O uso cladestino da água também é uma medida que está sendo combatida, inclusive com imagens de satélite, pela Compesa, evitando o desvio de água que prejudica o abastecimento de quem precisa. (Luiz Carlos)
 

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...