_ _ _ _

terça-feira, 26 de março de 2013

0 Em Serra Talhada, durante discurso, Eduardo Campos se diz 'amigo' e 'companheiro' de Dilma

+A +/- -A
O governador de Pernambuco, Eduardo Campos (PSB) se disse nesta segunda (15), em Serra Talhada (PE), "companheiro" da presidente Dilma Rousseff e afirmou que o estado a recebeu "com a mesma atenção de sempre".
Campos e Dilma discursaram na  cerimônia de inauguração da primeira etapa da Adutora do Pajeú. Ambos são possíveis adversários na eleição presidencial de 2014. Na semana passada, o governador elogiou José Serra (PSDB), rival de Dilma na campanha eleitoral de 2010. Pesquisa do instituto Datafolha divulgada na última sexta, apontou a presidente com 58% das intenções de voto se a eleição fosse hoje, e Campos, com 6%, em um cenário que inclui como possíveis candidatos Marina Silva, da Rede (16%), e Aécio Neves, do PSDB (10%).
"Minha primeira palavra, presidenta, é para dizer que Pernambuco lhe recebe e acolhe com a mesma atenção de sempre, com o respeito que lhe tributamos, nesse estado que lhe recebeu e ajudou a ser presidente da República", afirmou o governador no início de seu discurso.
Ao finalizar, sua fala, Campos desejou que Dilma "volte sempre" e disse que ela tem nele um "companheiro" e um "amigo". "Presidenta, seja bem-vinda, volte sempre. Pernambuco lhe respeita. Aqui a senhora tem um governador, mas também tem um companheiro, um amigo de longa jornada. A generosidade do povo de Pernambuco jamais vai afetar a compreensão de Brasil que todos nós temos. Um grande abraço".
O governador agradeceu pelas parcerias com o governo federal, citando muitas vezes que foram iniciadas ainda no governo do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva. "Tenho certeza de que as parcerias de ontem e de hoje vão na mesma direção, para construir um país mais equilibrado e justo", disse, para completar: "Nosso conjunto político não tem faltado com apoio político ao governo de vossa excelência", afirmou.
Campos citou também o avô, o ex-governador Miguel Arraes, para lembrar a luta secular do sertanejo contra a seca e as ações do seu governo contra os efeitos da estiagem.
"Estouramos as secas dos currais atrasados em Pernambuco. Tenho a alegria de ser o governador que colocou GPS nos carros-pipa para acabar com essa vergonha de a água ser moeda para compra de votos. Numa seca como essa não podemos dividir os brasileiros.
A visita da presidente Dilma Rousseff (PT) ao Sertão pernambucano, foi marcada pela divisão dos militantes petistas e socialistas no público que acompanhou o evento. Assim que a presidente chegou ao evento, gritos de "Dilma, Dilma" eram escutados aos montes no local. Bem menor era o grupo de manifestantes do PSB. O agricultor Pedro Santana, acuado em meio a uma multidão de petistas, quase não conseguia ser ouvido.
Ao longo da principal rodovia federal que corta Serra Talhada, a BR-232, bem como no local da solenidade, era possível ver faixas de apoio e agradecimento, tanto para Rousseff quanto para Campos.

Ministro
O ministro da Integração, Fernando Bezerra Coelho, do PSB, mencionou em seu discurso artigo de uma colunista política de um jornal pernambucano, que afirmou que o ministro estaria "entre a cruz e a caldeirinha". Ele afirmou que não sabia se ela estava certa ou errada.
O ministro já foi citado como o candidato de Eduardo Campos ao Governo de Pernambuco em 2014. Mas também foi objeto de notícias de que deixaria o PSB rumo ao PT.
"O que sei e confio é que, ao cabo do debate que estamos testemunhando, prefiro acreditar na derivada positiva de quem ajudou a construir este momento do pais. Todos nós estamos juntos desde 1989, sonhando, lutando e pelejando. Todos aqui têm legitimidade para debater, para discutir, para que o Brasil possa ir até muito mais longe", afirmou.
No final do discurso, Bezerra Coelho se dirigiu a Dilma para dizer que "Eduardo Campos é o melhor governador que o Brasil tem" e, em seguida, elogiou a política de ações de convivência com a seca do governo federal e o apoio que recebe para gerir a pasta da Integração Nacional.

Agenda presidencial
A presidente Dilma Rousseff veio a Pernambuco para inaugurar a primeira etapa da adutora do Pajeú, equivalente a 118 km, suficientes para abastecer as cidades sertanejas de Floresta, Serra Talhada, Calumbi, Flores, Carnaíba e Afogados da Ingazeira, além do distrito de Canaã, em Triunfo.
Ainda restam 79 km para a conclusão dessa fase da obra, o que deve acontecer até o segundo semestre de 2013. No total, a adutora terá 598 km. Quando estiver 100% concluída, ela irá captar água do Rio São Francisco para atender cerca de 400 mil pessoas, em 21 cidades pernambucanas e oito paraibanas. O investimento é de R$ 547 milhões.
Dilma teria outras agendas em Pernambuco, entre elas um possível almoço com o governador Eduardo Campos, que realizou o convite. Na sexta-feira (22), no entanto, o Palácio do Planalto cancelou os outros compromissos da presidente no estado, porque ela vai comparecer a uma missa em Petrópolis, às 17h, em memória das vítimas das chuvas na região serrana do Rio de Janeiro.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...